sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Bombeiros de Arronches recebem ambulância INEM e adquirem viatura ligeira para transporte de doentes não urgentes.

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Arronches recebeu ontem, uma ambulância INEM ao abrigo do protocolo estabelecido, que obriga a instalação do Posto de Emergência Médica-PEM nas instalações da associação. Ao mesmo tempo foi adquirida uma viatura ligeira por leasing que se destina ao transporte de doentes não urgentes.

João Crespo, Presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Arronches em declarações ao N.A. disse-nos que “a viatura é atribuída pelo INEM que protocolou com os Bombeiros de Arronches a entrega de 50.000,00€ para a aquisição da viatura, para a constituição de um Posto de Emergência Médica nas nossas instalações. No entanto, para a aquisição desta ambulância como todo o equipamento que possui, a associação teve que fazer um investimento adicional de cerca de 6.000,00€”.
Este protocolo tem outras obrigatoriedades como afirmou João Crespo pois, “temos que ter pessoal especializado com o curso de Tripulante de Ambulância de Socorro-TAS que, neste momento temos sete formados. Dos sete, seis foram formados a expensas da associação e um que já tinha o curso”.
Esta ambulância vem personalizada como dos bombeiros, pois a sua traseira ao contrário das viaturas do INEM é vermelha. Quanto aos serviços que vai prestar e tendo em conta que, numa outra fase os Bombeiros de Arronches não foram contemplados com uma viatura deste tipo (ao contrários doutras associações), sendo a justificação de que o número de ocorrências no concelho não o justificava. Foi na altura a Câmara Municipal de Arronches que ofereceu à associação uma viatura com as mesmas características ou, superiores às do INEM de então.
Agora houve outro entendimento e a associação passa a dispor de duas viaturas. Para o Presidente da Associação “isso pode ser vantajoso, pois com duas viaturas podemos estender o nosso serviço a outros concelhos, o que representa uma maior prestação de serviços, logo um maior encaixe financeiro”.
Quanto à viatura de transporte de doentes não urgentes adquirida, João Crespo referiu que “estamos a terminar o nosso mandato e já há algum tempo tínhamos identificado esta necessidade. Precisávamos de uma viatura de transporte de doentes que fosse mais pequena, que permitisse reduzir custos nas deslocações que temos”.
Nem sempre a viatura existente é totalmente preenchida com doentes. Desta forma o Presidente da associação considera que, com esta viatura “podemos transportar até três doentes e um bombeiro. Isto representa um custo inferior que advêm do consumo mínimo deste veículo, especialmente com deslocações a Évora, Lisboa ou Coimbra por exemplo”, concluiu.



0 comentários: