quinta-feira, 6 de julho de 2017

O Projecto SIRESP não teve qualquer limitação fruto das cativações orçamentais, segundo o MAI

Do Gabinete da Ministra da Administração Interna recebemos hoje a seguinte nota de esclarecimento, enviada a toda a comunicação social.



Ministra do MAI, Constança Urbano de Sousa (foto-D.R.)
O Ministério da Administração Interna esclarece que, em 2016, o Projecto SIRESP não teve qualquer limitação fruto das cativações orçamentais.
"As despesas associadas ao contrato SIRESP – habitualmente designadas “rendas” – foram integralmente pagas à operadora.
No âmbito dos projectos associados à melhoria do funcionamento da rede SIRESP, da responsabilidade do Ministério da Administração Interna, importa referir que nenhum deles foi afectado por cativações", afirma o MAI no comunicado.
Adianta ainda que "Importa ainda esclarecer que o Governo anterior não executou a esmagadora maioria das medidas constantes do Relatório da KPMG. Essas medidas foram e estão a ser concretizadas por este Governo, nomeadamente: Reforço de cobertura na estação de Fátima; Processo de controlo dos terminais que operam na rede SIRESP (cadastro de terminais e controlo de terminais inoperacionais); Aquisição e instalação das antenas VSAT (satélite) nas duas estações móveis da ANPC, adquiridas em 2015, mas sem utilidade em situações de emergência; Reforços de cobertura da rede SIRESP através da colocação de três novas estações: Entroncamento, Vila Nova Poiares e Torre Dona Chama; Cobertura da rede SIRESP indoor no Aeroporto de Lisboa; Instalação de novas estações na rede de metro do Porto, completando a cobertura; Implementação da ferramenta de gestão do risco; Implementação das necessárias políticas de segurança; Implementação do plano de continuidade de serviço (processo de activação de redundâncias de rede e de energia)".

0 comentários: