Click na imagem para aceder ao site

domingo, 4 de fevereiro de 2018

ArJovem promove palestra sobre como “Sobreviver com Cancro”

A ArJovem é uma associação de jovens de Arronches recentemente formada. Com tal, ainda poucos são os eventos que realizou para se poder fazer uma análise mais aprofundada da sua participação na sociedade arronchense.


Naturalmente e se tivermos em conta que a sua média de idades oscila entre os 18 e 23 anos, seria lógico que se centrassem em actividades lúdicas e culturais. Felizmente que não pensam só nesse sentido, como querem ser parte integrante da actividade cívica, preocupando-se como os problemas actuais que atingem a humanidade.
Para tal hoje, no salão do Centro Cultural de Arronches, com uma moldura humana bastante apreciável, levaram a afeito uma palestra de grande actualidade que denominaram “Sobreviver com o Cancro”. Para isso contaram com o apoio do Município, Junta de Freguesia de Assunção, Santa Casa da Misericórdia de Arronches e da b.design.
Foram oradores a Enfermeira Cecília Pires e o estagiário Bruno Morgado, do Centro de Saúde de Arronches, Enfermeira Maria José Lopes, do Hospital de Portalegre, Enfermeira Patrícia Curião, da Unidade de Cuidados Continuados da Santa Casa da Misericórdia de Arronches e Adriana Ferraria, médica que prestou o seu testemunho pessoal, enquanto também ela atingida por esta doença crónica.
Todos foram unânimes em referir que devemos estar atentos aos sinais do nosso corpo, que a prevenção deve ser prioritária, ter uma alimentação o mais saudável possível e praticar exercício físico.
Na intervenção da Enf.ª Maria José Lopes, ressaltou o “alarme” de que as previsões médicas ou científicas, apontam que num futuro mais ou menos próximo, uma em cada duas pessoas pode vir a ter cancro. 
Deixou também outros números que dão que pensar, ao afirmar que entre 40 a 60% dos casos de cancro, podiam ser evitados se fossem tidas em linha de conta a alimentação, tabaco, álcool, prevenção e sedentarismo. Enquanto profissional nesta área da saúde, considera que a informação ao paciente é importante, pois um doente com cancro passa a ter uma vida em torno da doença e deixa de ter vida própria. Ao ser esclarecido e estar preparado para os problemas e sintomas que vai ter pela frente enquanto submetido a tratamento, vão ajudá-lo imenso porque, em sua opinião, há vida para além do cancro. 
Patrícia Curião descreveu como trabalha a equipa multidisciplinar da Unidade de Cuidados Continuados de Arronches, dando ênfase aos cuidados paliativos e a forma como devem ser envolvidas as famílias de doentes em estado terminal. Salvaguardando que sempre tendo em conta a vontade de doente e a sua envolvência familiar.
A médica Adriana Ferrari deixou um testemunho pungente sobre a sua situação, desde que ela própria, suspeitou que podia ter câncer. Relatou de forma esclarecedora todo o processo pelo qual passou a nível pessoal, familiar e profissional. 
Esta grande mulher está disposta a participar com o seu testemunho em todas as solicitações que lhe sejam endereçadas, pois sabe por experiência própria o que é à quatro anos “Sobreviver com Cancro”.
No final o Presidente da associação ArJovem, Eduardo Pires, agradeceu a presença de todos os que se deslocaram ao CCA e aos oradores, tendo sido entregue uma lembrança a estes pela sua generosa colaboração.
O evento terminou com uma pequena demonstração de Zumba, pois o exercício é preventivo na luta conta esta doença, terminando com Coffee Break.




0 comentários: