quinta-feira, 1 de junho de 2017

Dia Mundial da Criança comemorado em Arronches

O Jardim do Fosso em Arronches recebeu hoje um ano mais, o “Dia Mundial da Criança” que juntou as crianças do Agrupamento de Escolas, Jardim de Infância e instituições num dia que lhes é inteiramente dedicado.




Como sempre a diversão que é proporcionada às crianças é o alvo de toda a atenção destas, que vai desde o carrossel, aos carrinhos, jogos e insuflável, tudo debaixo do olhar atento de educadores que lhes proporcionaram também os líquidos e alimentos necessários para uma manhã tão emotiva. 
Isto com a presença de muitos dos pais. Aos mais crescidos foi dado a oportunidade de darem azo a uma prática ao gosto de muitos: a bicicleta, nas quais cumpriram um percurso pelas freguesias do concelho, sob a atenta vigilância dos Bombeiros e GNR.

Este é o nosso mundo. O mundo de um pequeno concelho do interior alentejano, com infra-estruturas que permitem que os nossos filhos e netos, desfrutem de gozar este dia que lhes é dedicado com inteira segurança e todos os requisitos para um dia feliz.
Recordamos que em 20 de Novembro de 1989, as Nações Unidas adoptaram por unanimidade a Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC), “documento que enuncia um amplo conjunto de direitos fundamentais – os direitos civis e políticos, e também os direitos económicos, sociais e culturais – de todas as crianças, bem como as respectivas disposições para que sejam aplicados”. 
Este tratado internacional é um importante instrumento legal devido ao seu carácter universal e também pelo facto de ter sido ratificado pela quase totalidade dos Estados do mundo (192). Apenas dois países, os Estados Unidos da América e a Somália, ainda não ratificaram a Convenção sobre os Direitos da Criança.
Mas o Mundo debate-se com graves problemas a nível da fome, deslocados, escravatura de crianças e que o relatório da Unicef nos apresenta respeitante a 2015/2016 “uma visão global sobre as crianças refugiadas e migrantes no mundo, dando especial destaque às crianças que se deslocam sozinhas. 
Os dados desta são alarmantes: pelo menos 300.000 crianças não acompanhadas e separadas foram registadas em cerca de 80 países. O relatório documenta também as motivações que levam as crianças a abandonar as suas casas e os riscos que enfrentam em percursos extremamente perigosos, frequentemente às mãos de contrabandistas e traficantes sem escrúpulos, para chegarem aos seus destinos, o que para a UNICEF justifica claramente a necessidade de um sistema global de protecção para manter estas crianças a salvo da exploração, de abusos e da morte”.
Não basta comemorar. É necessária uma reflexão profunda sobre tudo aquilo que se abate sobre o universo das crianças que são o futuro de todos os povos.











.

0 comentários: