terça-feira, 12 de setembro de 2017

As autarquias demoraram menos tempo a pagar em 2016 do que em 2010

O jornal Público na sua edição de hoje, e em período pré-eleitoral, revisita o tema do endividamento e pagamento a fornecedores das Câmaras. Arronches no topo das “câmaras que pagam na hora”.


Quanto ao tempo para pagar refere o Público que “segundo dados provisórios da Direcção-Geral das Autarquias Locais em 2016, as dez autarquias menos endividadas demoraram em média de nove dias a pagar aos fornecedores. Fora deste universo, Santana, Azambuja, Miranda do Douro e Arronches pagaram na hora”(...)
Do outro lado da escala, a história é diferente. “As dez mais endividadas demoraram cerca de 337 dias a saldar as suas dívidas (quase um ano). Nazaré e Portimão, que levaram 1233 e 1290 dias a pagar, inflacionam a média. Tirando as duas mais demoradas, o prazo médio de pagamentos era de 106 dias”. Por outro lado há autarquias como a situação da “Nazaré e Portimão tem vindo a agravar-se. Entre 2010 e 2016, as duas autarquias aumentaram exponencialmente os prazos médios de pagamentos. Portimão agravou a média em quase dois anos e meio (870 dias) e a Nazaré em dois anos e dois meses, ou seja, 796 dias”(...)
Mas também há casos de grande recuperação como “ Porto Santo, na Madeira, retirou três anos ao seu prazo médio de pagamento — passou de 1228 para 115 dias. Seguiu-se Borba, que diminuiu 735 dias (passou para 16). E Castanheira de Pêra, com uma redução de 702 dias para cinco)”.
Conclui o Público que “no geral, as autarquias demoraram menos tempo a pagar em 2016 do que em 2010. No início desta década, 202 municípios demoravam mais de 60 dias a saldar as dívidas aos fornecedores. Em 2016, já eram só 66”(...)

0 comentários: